Facebook

SOBRE O TECH ART

Relacionar arte e tecnologia significa encontrar uma nova maneira de apreciação estética e interação entre a arte e o artista, o criador e a criatura, o digital e o orgânico.

 

Interagir com o espectador através de novas mídias e novas plataformas digitais implica ter novos olhares, ser multidisciplinar e valorizar a beleza que vem da diversidade. Levar a expressão criativa a lugares nunca antes vistos através da tecnologia, e injetar a ousadia de um artista na sociedade. Ampliar a consciência para um novo tempo, em que arte e tecnologia se espelham e se refletem para impactar o mundo.

 

Um tempo onde todos somos filósofos, pensadores, artistas e empreendedores. Um tempo onde sair do lugar comum, assumir riscos e ter liberdade para errar são fundamentais para o sucesso de qualquer negócio.

 

UM TEMPO DE TECH ART FESTIVAL 2020.

O QUE ROLOU NA EDIÇÃO PASSADA

PALESTRANTES INTERNACIONAIS

NUNO CALDAS

NUNO CALDAS

NUNO CALDAS

 

Título da palestra:
A criatividade e a geração de valor

 

Atualmente é sócio do escritório Dannemann Siemsen, com uma atuação voltada para a inovação estratégia a nível da proteção e expansão de negócios apoiados em ativos intelectuais.

Atende clientes nacionais e estrangeiros dos mais variados setores econômicos, tais como: AGCO, Bosch, Braskem, BRWS, Bunge, Docol, Hospital Sírio Libanês, Hydro, Greenbrier Amsted, Kellog, Mahle, MAN, MWM, Nestlé, Stena, Volkswagen, YKK, entre outros.

Com formação em Engenharia Metalúrgica e de Materiais pela Universidade do Porto, em Direito pela Universidade Mackenzie e com especialização em transferência de tecnologia tem auxiliado empresas na avaliação e contenção de riscos e na gestão de portfólios de intangíveis a nível mundial.

Descrição da palestra:
Será abordado um posicionamento sobre a sistemática do sistema de propriedade industrial, seu funcionamento sob o ponto de vista específico das startups, bem como quais alternativas de geração de valor estão ao alcance desde o início do processo criativo.

A criatividade e a geração de valor

 PORTUGAL
SÓCIO | DANNEMAN SIEMSEN

ARNAUD DELECOLLE

ARNAUD DELECOLLE

ARNAUD DELECOLLE

 

Com 20 anos de experiência no mercado da moda e da cultura, é o cofundador da OBRA, marca de sneakers Made in Brazil de ambição global, que tem como premissa incentivar ética, sustentabilidade e arte em seus produtos. OBRA conta com a soma das experiências adquiridas por Arnaud ao longo de uma carreira que os levou aos quatros cantos do planeta, na qual através do New York Art Department e Alife, curou e produziu eventos, exposições de arte e shows, contando com a colaboração de nomes influentes da cena cultural contemporânea além de criar e comercializar produtos dos mais diversos no Brasil, Taiwan, Coréia do Sul e China, tendo colaborado com marcas como Nike, Adidas, Reebok, Levis, Lacoste, Asics, entre outras.

A importância da arte no ecommerce (The importance of art on ecommerce)

frança FRANÇA  | estadosunidos ESTADOS UNIDOS
CO-FUNDADOR OBRA | FUNDADOR DO NEW YORK ART DEPARTMENT

PALESTRANTES

ZICO GOES

ZICO GOES

ZICO GOES

 

Titulo da palestra:

Inovação em série(s)

 

Hoje atua como VP de Desenvolvimento e Conteúdo na FOX. Se formou como advogado na USP em 1987 e trabalha como gerente de programação e diretor de conteúdo desde os anos 1990. Antes de aterrissar na FOX, passou por gigantes como MTV Brasil, onde trabalhou como também como tradutor e redator entre 1991 e 2008, GNT/GLOBOSAT (2010), além de ter experiência no mercado independente através da produtora Conspiração Filmes, onde atuou como diretor do núcleo de TV nos anos de 2013 e 2014.

Descrição:
Os (novos) rumos da produção audiovisual de ficção – filmes, séries e podcasts.

Inovação em série(s)

VP DE CONTEÚDO E DESENVOLVIMENTO | FOX NETWORKS GROUP

ALEX LIMA

ALEX LIMA

ALEX LIMA

 

Titulo da palestra:

Transformação Criativa

 

Fundador da Glóbulo, empresa que já executou projetos para mais de 400 empresas misturando estratégia com criatividade e, com ela, já fez Documentários, teve alguns reconhecimentos (4 Top de Marketing, Guinness Book, Guarnice, Taschen), escreveu livro, produziu teatros e atletas, mentorou startups, idealizou programas de aceleração e auxiliou a construir ambientes de inovação. Atendeu clientes em 4 continentes. Sócio da Noblier, empresa que transforma saúde em dados, ou dados em saúde. Implementou o Sebraelab em SC, é embaixador da Startup Portugal, posicionou projetos em grandes entidades como FIESC, ACATE, ACIF, SEBRAE.Tedx talker, líder local do Dia Mundial da Criatividade, palestra sobre estratégias de diferenciação e inovação pelo Brasil, professor de MBA, Co-idealizador do movimento Transformação Criativa e pai da Emília, a maior criação de todas.

Descrição:
Uma viagem sobre: o que estamos esperando para nos posicionarmos como o centro da economia criativa mundial e transformar a percepção de valor do brasileiro frente ao mundo?

Transformação Criativa

HUNTER | TRANSCRIATIVA

LIDIA ZUIN

LIDIA ZUIN

LIDIA ZUIN

 

Título da palestra:

Como a ficção científica está moldando o futuro?

 

Lidia Zuin é jornalista e futuróloga, mestre em semiótica e doutoranda em artes visuais pela Unicamp. Head do núcleo de inovação e futurismo da UP Lab, é pesquisadora, editora do blog e curadora de notícias da newsletter UP Future Sight. Professora da disciplina Tecnologias emergentes e futurismo no Istituto Europeo di Design. Atualmente assina coluna quinzenal sobre futurologia, tecnologia e ficção científica no UOL Tab. Embaixadora do Teach the Future.

Descrição:
O que é futurologia e como essa disciplina ajuda pessoas e empresas a construírem um futuro mais desejável. Por que cada vez mais organizações estão contratando filósofos e escritores de ficção científica para pensar o amanhã e discutir questões tecnológicas? Saiba mais sobre como podemos aprender sobre o futuro através das narrativas ficcionais e ter uma visão mais crítica e aprofundada sobre inovação tecnológica.

Como a ficção científica está moldando o futuro?

JORNALISTA | FUTURÓLOGA

SERGIO VENANCIO

SERGIO VENANCIO

SERGIO VENANCIO

 

Título da palestra:

Como coexistir e cocriar com inteligências artificiais

 

Sergio Venancio é artista, programador e professor. Mestre em Artes Visuais pela USP e graduado em Ciência da Computação pela UNICAMP, sua pesquisa relaciona Artes Visuais e Inteligências Artificiais, buscando novos processos, experiências e reflexões da convivência entre humanos e máquinas inteligentes.

Descrição:
Se a ficção científica nos deixou temerosos de robôs que conseguem se autoprogramar e que se voltariam contra nós, a realidade é que estamos ainda bem longe disto acontecer. Mas as inteligências artificiais estão cada vez mais deixando obsoletas diversas atividades humanas, inclusive atividades criativas. Como podemos nos colocar diante destas novas tecnologias? Tentaremos responder, discutindo sobre a própria noção de criatividade, buscando distinções entre a criatividade humana e a suposta criatividade das máquinas. Faremos um panorama histórico, desde a “discussão” entre Ada Lovelace e Alan Turing, até os dias atuais quando uma obra de arte gerada por IA foi leiloada a meio milhão de dólares. No meio disso tudo, veremos muitas obras interessantes, envolvendo robôs que desenham e pintam, redes neurais colocadas umas contra as outras, deep learning e deep fakes, além, é claro, da velha busca sobre o que há de humano em toda tecnologia.

Como coexistir e cocriar com inteligências artificiais

ARTISTA | PROGRAMADOR | PROFESSOR
CAROL BALDASSO

CAROL BALDASSO

CAROL BALDASSO

 

Título da palestra:

Neurociência: entendendo comportamentos em UX

 
Caroline Baldasso é neurocientista, mestre pela Escola de Medicina da Universidade de Pisa, e estuda o comportamento humano e as forças invisíveis que moldam a forma como nós pensamos, agimos e nos relacionamos. Atualmente, trabalha na No One aplicando neurociência em pesquisas de comportamento, para entender pessoas, melhorar experiências, e ajudar a minimizar problemas humanos.

Descrição:
Como a neurociência pode aumentar o repertório sobre comportamento humano, usando a tecnologia para entender (e não induzir) experiências em profundidade, e ser parte do processo de pesquisa dos designers e profissionais da indústria criativa?

Neurociência: entendendo comportamentos em UX

NEUROCIENTISTA | NO ONE

LARISSA BISPO

LARISSA BISPO

LARISSA BISPO

 

Título da palestra:

Somos muitas: o racismo na tecnologia e a potência das mulheres negras

 

Larissa Bispo faz parte da equipe do Olabi, organização social que trabalha para democratizar tecnologias e conhecimentos, no qual cuida da comunicação e organiza ações da PretaLab, projeto dedicado a inclusão de mulheres negras na cena tecnológica. É jornalista, mestranda na Faculdade de Educação da UFRJ e coordena o Se Toca, site que reúne conteúdos relacionados às temáticas de gênero e sexualidade.

Descrição:
As tecnologias não são neutras. Pelo contrário, são subjetivas e carregam visões de mundo. Se, por um lado, a maioria da posições de poder na área de tecnologia ainda são ocupadas pelo mesmo perfil de pessoas – majoritariamente homens, brancos e jovens – e problemas como o racismo algorítmico se perpetuam, por outro lado, as mulheres negras representam potência e estão contribuindo para trazer relevantes questões para o desenvolvimento tecnológico, melhorando produtos, serviços e gerando reflexões. Não é mais possível pensar em tecnologia e inovação sem falar de diversidade nas equipes. Enquanto as estatísticas, estudos e políticas públicas ignorarem a importância da tecnologia, as mulheres negras vão estar à margem de decisões cada vez mais centrais na sociedade. Mas nós somos muitas. E estamos juntas.

Somos muitas: o racismo na tecnologia e a potência das mulheres negras

COMUNICAÇÃO | OLABI | PRETALAB

JULI FINKLER E FRAN HAGEMEISTER

JULI FINKLER E FRAN HAGEMEISTER

JULI FINKLER E FRAN HAGEMEISTER

 

Título da palestra:

O SXSW é apenas o ponto de partida. Acessamos ao infinito mundo da arte e tecnologia

 

Juli Finkler é publicitária de formação, designer multímidia, co-founder da produtora Pink.mov e criadora do Instagram inspiracional @artenadasei – marca da geração Millenials vem a dez felizes anos se destacando no mercado visual pelo seu diferencial de vídeos/ imagens completas cheias de criatividade chega a dizer que imagem e ação é seu slogan de vida transformando tudo em uma fusão de várias tecnologias que cresce como experiência em captação e edição de imagem, consumo interativo e videomapping trazendo cada vez mais experiência ao eletrônico, corporativo, publicitário, shows, ambientes urbanos e freestyle. Em seu currículo está direção de imagem do palco principal do festival gaúcho Planeta Atlântida, cursou Fotografia pelo Moma – Museu de Arte Moderna de NY (EAD) e participou artisticamente do SP Urban Festival Team – Samsung Conecta com a obra Desconstruindo o simples descontruído, que foi projetado no Mirante 9 de Julho, Auditório Ibirapuera, Cinemateca e FIESP (Av. Paulista). Além de, executar projeto de videomapping Vista S/A + adidas skateboarding

 

Fran Hagemeister é Arquiteta e Urbanista de formação, atualmente cursa design de produto, na qual sempre obteve interesse pelo meio artístico, onde hoje trás seu conhecimento técnico para o design, gestora de projetos a mais de 5 anos no mercado de trabalho, co-founder da estúdio Vintho arquitetura & construção. A arquiteta neste tempo passou temporada em Nova Iorque onde buscou maior conhecimento de arte moderna e pós-moderna e prosseguiu com sua formação organizacional com MBA em gestão de projetos e Técnico em transações imobiliárias. Traçando um longo caminho de projetos de sucesso em diversas cidades. Já em 2017 esteve em Berlim aprimorando seus estudos, onde a maior atenção foi pelo consumo expressivo da arte urbana presente através do videomapping. Logo, após este momento aprofundou suas pesquisas na área com relevância.

 

Sobre a UMQUARTO.CC:
Um movimento, uma nova forma de interagir com o mundo.Unir arquitetura, design e tecnologia em projetos multissensoriais com o objetivo de conscientização socioeconômico, corporativo e estética ocupacional. Somos voltadas a experiências e emoções concretizamos projetos modulares,ou fixos. Que vão além de tempo e espaço- transformando conceitos e criando ideias.
https://www.umquarto.cc/

 

Descrição:
Estamos voando para o infinito – partimos da arte e tecnologia ao mundo experiencial do SXSW – nos inspirando através do sensorial e movidas em busca do novo – diretamente de Austin estaremos trazendo um contexto único de transmissão ao vivo e tudo que vivenciamos neste mundo de interatividade, filmes e músicas. Claro, além de novos mercados e ideias. 1Quarto.cc é apenas o ponto de partida. Aproveite por inteiro!

O SXSW é apenas o ponto de partida. Acessamos ao infinito mundo da arte e tecnologia

FUNDADORAS | 1QUARTO.CC

MULHERES NOS ACERVOS

MULHERES NOS ACERVOS

MULHERES NOS ACERVOS

 

Título da palestra:

Mulheres na arte: a história não escrita

 

O projeto Mulheres Nos Acervos consiste na coleta, análise e aprofundamento de dados sobre a presença de trabalhos artísticos de autoria feminina nas coleções públicas presentes na cidade de Porto Alegre, bem como o perfil de suas autoras – gerações, naturalidades/nacionalidades e mídias utilizadas.

A partir de tais informações, as pesquisadoras Mel Ferrari, Nina Sanmartin, Cristina Barros e Marina Roncatto promovem ações para divulgar seus resultados qualitativos e quantitativos, como exposições e publicações online, com o intuito de questionar a assimetria de gênero nas coleções e sugerir possíveis caminhos para que se possa repensar suas aquisições; fornecer dados que fomentem outras relações e pesquisas no tocante à História da Arte no Rio Grande do Sul; e visibilizar a produção feminina já existente nas instituições estudadas.
Acesse o site para mais informações: https://mulheresnosacervos.wordpress.com

Descrição:
Neste encontro, as pesquisadoras apresentarão os dados coletados a partir do acervo artístico do Museu de Arte Contemporânea do Rio Grande do Sul – MACRS e as reflexões acerca da representatividade de gênero presente nesse museu e no contexto da nossa cidade.

 

Sobre as pesquisadoras:

Cristina Barros
Graduanda do Bacharelado em História da Arte na Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) e Estagiária do Museu de Arte do Rio Grande do Sul (MARGS). Possui experiência em mediação cultural e curadoria. Desde 2018 faz parte do corpo editorial da revista acadêmica ÍCONE: Revista Brasileira de História da Arte, vinculada ao Departamento de Artes Visuais e ao Bacharelado em História da Arte da UFRGS. Na pesquisa acadêmica, dedica-se aos estudos de legitimação de práticas artísticas contemporâneas e é bolsista PROBIC/FAPERGS.

Marina Roncatto
Marina M. Roncatto Bacharela em História da Arte na Universidade Federal do Rio Grande do Sul, onde foi Bolsista de Extensão do Setor de Acervo Artístico da Pinacoteca Barão de Santo Ângelo (IA – DAV/UFRGS), contribuiu no processo de catalogação e produção de textos para o catálogo geral lançado em 2015. Em 2017 trabalhou como auxiliar de curadoria da exposição “Aã” na Fundação Vera Chaves Barcellos e em 2018 fez a curadoria da exposição “O Silêncio, o Tempo e a Voz” para o saguão da Reitoria da UFRGS. Neste mesmo ano atuou na performance e instalação “Capa canal” de Héctor Zamora e na instalação performática “Departamento de recursos não revelados” de Mark Dion, ambas presentes na 11º Bienal do Mercosul.

Mel Ferrari
Mélodi Ferrari é historiadora da arte e produtora cultural. É mestranda da Pós-Graduação Interunidades em Estética e História da Arte (PGEHA) da USP. Graduada em História da Arte (2018/2) e Comunicação Social (2012/1), possui especialização em Economia da Cultura (2015/1), todas pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Tem pesquisa publicada sobre Políticas Culturais em Museus. Já atuou como mediadora em instituições culturais da cidade e trabalhou no núcleo de curadoria do Museu de Arte do Rio Grande do Sul (MARGS) durante dois anos, com experiência no acervo da instituição e com montagem e desmontagem de exposições. Foi curadora de exposições no MARGS, Instituto de Artes Visuais do RS, Instituto de Artes da UFRGS e Pinacotecas da Prefeitura de Porto Alegre. Atualmente pesquisa os acervos de arte de Porto Alegre através do projeto Mulheres Nos Acervos. Coordena o projeto educativo da exposição Estratégias do Feminino no Farol Santander Porto Alegre. Já participou de júris de seleção como Ocupação Linha 2019 e Residência Ecarta 2020. É sócia e produtora da Papelera – Feira de Artes Gráficas. É coordenadora do colegiado setorial de artes visuais do Estado do Rio Grande do Sul.

Nina Sanmartin
Nina Sanmartin Moreira Alves é graduanda do Bacharelado em História da Arte na Universidade Federal do Rio Grande do Sul e Bolsista de Extensão do Setor de Acervo Artístico da Pinacoteca Barão de Santo Ângelo (IA – DAV/UFRGS). Em 2018, atuou como co-curadora da exposição Sinfonia da Alvorada, coletiva com artistas do acervo do MARGS e convidado (Museu de Arte do Rio Grande do Sul, Porto Alegre). Possui experiência em produção cultural e catalogação de acervos de artes visuais.

Mulheres na arte: a história não escrita

PESQUISADORAS | HISTORIADORAS DA ARTE

JOÃO RAMIL

JOÃO RAMIL

JOÃO RAMIL

 

Título da palestra:

Ficare Urbem – Do Desenvolvimento ao Reenvolvimento

 

João Ramil, 27 anos, formado em Comunicação Social na PUC-Rio, pesquisa e estuda o termo “permacultura” há 10 anos. Analisando os movimentos sociais, ambientais e econômicos que estamos vivendo nessa última década, João sintetizou o conceito “Ficare Urbem”, que significa ficar na cidade co.criando condições para repensarmos nossas estruturas sociais a partir dos ensinamentos da natureza.

Descrição:
Nosso modelo de desenvolvimento – “des” = “não”, ou seja, não envolvimento – ultrapassou os limites do relacionamento entre ser humano e natureza de forma negativa. As águas estão contaminadas, os solos degradados, a fauna e flora sendo exterminadas e além das mortes e da calamidade social, 300 milhões de seres humanos estão sofrendo de depressão.
Precisamos de um outro modelo e olhar para nosso passado pode trazer soluções para problemas atuais e co.criarmos um legado abundante para as próximas gerações.

A conversa é um convite para repensar o principal motor da nossa sociedade, os grandes centros urbanos, a partir do reenvolvimento com nossas funções naturais humanas: cuidar das águas, dos solos, das espécies e gerar biodiversidade.

Ficare Urbem - Do Desenvolvimento ao Reenvolvimento

SÓCIO-FUNDADOR | FENDA, L.U.P.A E VENTRE

PAULO ZAWISLAK

PAULO ZAWISLAK

PAULO ZAWISLAK

 

Título da palestra:

Proto-empreendedor: o MVP do empreendedor inovador

 

Doutor em Economia pela Universidade de Paris e professor da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Coordenador do Núcleo de Estudos em Inovação (NITEC). Com mais de 200 artigos publicados ao longo da carreira, há 25 anos pesquisa as áreas de economia e gestão da inovação e tecnologia, buscando entender a dinâmica da relação entre conhecimento, inovação e desenvolvimento. Gerencia projetos junto a organizações públicas e privadas.

 

Descrição:
Como podemos chamar a pessoa por trás de uma startup? Inovador? Empreendedor? Empresário?
Para nós, ele (ainda) não é nenhum desses. Essa pessoa é um proto-empreendedor: um potencial empreendedor, aquele que dá o “start”!
Da ideia original à versão beta, do MVP à escalabilidade, do mercado ao lucro, o caminho da inovação é tortuoso.
O proto-empreendedor deve acumular conhecimento para construir as capacidades de inovação que faltam para que seu esforço transforme uma startup em scaleup, até se tornar uma empresa.

Proto-empreendedor: o MVP do empreendedor inovador

PROFESSOR | COORDENADOR NÚCLEO DE ESTUDOS EM INOVAÇÃO | UFRGS

SHOWCASES

LUMANZIN

LUMANZIN

LUMANZIN

 

Desde 1996, LUMANZIN compõe e trabalha com música. Sua primeira composição foi a faixa “Minha Turma” lançada no cd da Teca Oficina de Música “Um Bolo Musical” (2008).

Apesar de ter passado a infância e adolescência inteira passeando por áreas musicais como corais clássicos da cidade e escolas de teatro musical, não foi até 2016 ao entrar num apartamento do amigo-do-amigo-de-um-amigo e participar de uma jam, que a cantora encontrou seu devido lugar.

Desde 2016 atuando na cena musical de maneira independente, LUMANZIN inicia sua carreira com o lançamento do ep “ABUSOS”, produzido por Pedro Serapicos. Ainda naquele ano, formou a banda chamada LUZIA que tinha uma sonoridade única explorando o jazz, rock, MPB e uma pitada de clássico.

Luísa volta a carreira solo em 2018, ao ser aprovada na residência artística do Banff Centre (Canadá). Lá fez parcerias com nomes como Lisa Schonberg (USA), Ariel Schlinchter (ARG), Jordan Sand (USA) e Yantra del Velder (AUS).

Fez shows no Canadá, em Portugal e Holanda. Ao retornar pro Brasil fecha parceria com a PWR Records e lança seu primeiro grande projeto “quarentena”.

 

Sobre “Quarentena”:
A LUMANZIN, apresenta o “quarentena”, disco fruto de um crowdfunding de sucesso que consquistou 17 mil reais e ajudou a ida da Lu ao Canadá — à residência artística na Banff Centre, onde o quarentena tomou forma e caminho.

Com esse disco, propomos uma imersão completa na realidade da “quarentena” usando as diferentes mídias para tornar mais completa a experiência. O projeto fala sobre processos de cura e auto-perdão, auto-conhecimento, isolamento e o ciclo de vida-morte-vida que passamos. É música, video-arte-documental, textos, foto e performance – escrito no brasil mas desenvolvido no Canadá.

ARTISTA MULTIMÍDIA

50 TONS DE PRETAS

50 TONS DE PRETAS

AS PRETAS

 

É uma força que transcende a própria obra. Formada por Dejeane Arruée (vocal, trombone), Graziela Pires (vocal), 50 Tons de Pretas mescla muito bem um apanhado de referências que traçam um diálogo aberto com o pop, o samba, o rock e a música popular brasileira como um todo.

Além de grandes compositoras, musicistas e arranjadoras, ambas desenvolvem trabalhos como educadoras para crianças e adolescentes. O papel de educadoras reflete na maneira como conseguem trazer com naturalidade e leveza temas sociais fortes e de reflexão. É uma música alegre, pra cima e dançante. Mas estão nas letras temas que envolvem as mulheres negras, o feminismo, a diferença de classes, a esperança de uma sociedade igualitária e o empoderamento da mulher. As Pretas, como são também conhecidas, estão aqui para entreter e fazer pensar. A arte é o fio condutor de um engajamento espontâneo de quem traz uma bagagem cultural e social própria e plural.

EDUCAÇÃO, ARTE, MÚSICA POPULAR BRASILEIRA

B.ART

B.ART

B.ART

 

B.art é rapper, DJ, poeta e MC, nascida em Pelotas e hoje vivendo em Novo Hamburgo.

Dentre 2.647 projetos inscritos no programa Natura Musical B.art foi um um dos 41 selecionados, juntando-se a nomes do cenário do RS como Frank Jorge e Kassin, Tagua Tagua, Vitor Ramil, e Zudizilla.

Fotógrafa, jornalista e escritora, B.art tem a rima como principal aliada para abordar temáticas astrais, discussões sociais e gritos de liberdade. Seu primeiro disco virá acompanhado de zine, shows e uma série de videoclipes.

RAPPER, DJ, POETA E MC

EXPERIÊNCIAS

MOSTRA “EAT ART”

MOSTRA “EAT ART”

MOSTRA “EAT ART”

 

Uma exposição artística que comprovará na prática a sintonia entre alimentação e criatividade, representada em uma mostra com telas e ingredientes do nosso dia a dia.

IN4RT VR EXPERIENCE

IN4RT VR EXPERIENCE

IN4RT VR EXPERIENCE

 

Já imaginou ser jogado para dentro de uma obra artística?
Uma experiência imersiva utilizando um óculos de realidade virtual, que levará os participantes a uma viagem para dentro de um trabalho artístico.

MOSTRA “MULHERES NA FÁBRICA”

MOSTRA “MULHERES NA FÁBRICA”

MOSTRA “MULHERES NA FÁBRICA”

A partir do grupo de pesquisa Mulheres nos Acervos, coordenada pelas pesquisadoras Cristina Barros, Marina Roncatto, Mel Ferrari e Nina Sanmartin, o Museu de Arte Contemporânea do RS renova sua parceria com a Fábrica do Futuro, através do projeto FUTUROTECA, com exposição permanente da coleção do Museu. A mostra “Mulheres na Fábrica”, a ser inaugurada  em março próximo, integrará o projeto cultural “TECH ART FESTIVAL” e as comemorações de aniversário do MAC, apresentando exclusivamente obras de artistas mulheres do seu acervo. A temática também estará em diálogo com a 12ª Bienal do Mercosul, com  inauguração prevista para abril, cujo projeto curatorial abordará temas do universo feminino.
EXTENTIO

EXTENTIO

EXTENTIO

 

Extentio é um software que simula um processo de desenho de observação, utilizando Inteligência Artificial, Aprendizado de Máquina e Visão Computacional para observar, traçar e analisar. Cada desenho produzido é único, e a máquina reflete intenções de seu criador, que por sua vez é influenciado pelas surpresas que ela traz. Trata-se de um ciclo criativo e evolutivo – a máquina gera e provoca o artista, que julga e treina novamente a máquina.

INGRESSOS

PATROCINADOR

PARCEIROS DE MÍDIA

PARCEIROS

CURADORIA DE CONTEÚDO

PLATAFORMA DIGITAL

HOTEL OFICIAL

QUEM FAZ

REALIZAÇÃO

ASSESSORIA DE IMPRENSA

assessoria@reversocomunicacao.com.br
reverso@reversocomunicacao.com.br
+55 51 3398-7958
+55 51-99162 0568


Reverso Comunicação Integrada
www.reversocomunicacao.com.br
CONRERP PJ116

FÁBRICA DO FUTURO

contato@fabricadofuturo.com
(51)3279-3762


Câncio Gomes 609
Floresta, POA/RS


www.fabricadofuturo.com